Se você é daqueles que miram nos grandes eventos literários, melhor começar a se preparar agora! Afinal, tudo fica mais fácil com um empurrãozinho, certo? A confirmação inicial dos autores internacionais na Bienal do Livro de São Paulo pode ser o seu. Então pode ir anotando na agenda: a edição deste ano acontecerá entre 03 e 12 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, e vai trazer Victoria Aveyard, Anna Todd, Soman Chainani, Yoav Blum e Lauren Blakely.

Além das sessões de autógrafos, a programação também incluirá bate-papos e palestras exclusivas no espaço da Arena Cultural. Os ingressos estarão disponíveis para compra online. Caso tenha interesse, guarde este link com carinho. Preencha o formulário de interesse para ser notificado do início das vendas, que estão para começar em breve.

Victoria Aveyard

Autora da série "A rainha vermelha", Victoria Aveyard estrá entre os autores internacionais na Bienal do Livro de São Paulo

Victoria Aveyard vem de Massachusetts (Estados Unidos). Roteirista por formação, escreve tentando juntar o amor por história, explosões e heroínas fortes, o que, na prática, resultou na série “A Rainha vermelha”. São mais de 400 mil cópias vendidas só no Brasil, com publicação pela Editora Seguinte. Os direitos para uma adaptação para os cinemas foram adquiridos pela Universal. O filme será dirigido por Elizabeth Banks.

Anna Todd

Anna Todd volta ao Brasil para divulgar os novos livros entre os autores internacionais na Bienal do Livro de São Paulo 2018

Anna Todd cresceu em Ohio (Estados Unidos) e ganhou o mundo com sua série “After”. O que começou começou como fenômeno do Wattpad se transformou em best-seller do The New York Times, lido por mais de 1,5 bilhão de usuários da plataforma digital e traduzido para mais de 30 idiomas.

Os fãs terão mais uma chance de encontrar Anna depois dos três anos que separam a vinda para a Bienal 2018 da última vinda da autora ao Brasil. Dessa vez ela vem divulgar a trilogia “The brightest stars”, publicada pela Astral Cultural a partir de setembro. A mesma editora também publicou “Nothing More” e “Nothing Less”, seus livros mais recentes.

Soman Chainani

Soman Chainani vem ao Brasil como um dos autores internacionais na Bienal do Livro de São Paulo

Soman Chainani é apaixonado por contos de fadas. Prova disso é a tese que escreveu sobre os motivos de mulheres serem representadas como vilãs irresistíveis. Nos livros, ele responde pela série “A escola do bem e do mal”, lançada pela Editora Gutenberg. Com o terceiro volume publicado em 2016, o autor retoma a história com o quarto livro bem a tempo da Bienal.

Além de escritor, Soman é um roteirista aclamado. Seus filmes já foram exibidos em mais de 150 festivais ao redor do mundo, tendo ganhado mais de 30 prêmios de júri e público.

Yoav Blum

Yoav Blum vem ao Brasil como um dos autores internacionais na Bienal do Livro de São Paulo

O israelense Yoav Blum viu “Os criadores de coincidências” virar um best-seller instantâneo, logo traduzido para vários idiomas. O livro foi trazido ao Brasil pela Editora Planeta, mas não sem antes passar por um leilão concorridíssimo pelos direitos de publicação. Com os direitos de adaptação devidamente adquiridos, o filme também já está garantido.

Lauren Blakely

Lauren Blakely no Brasil, entre os autores internacionais na Bienal do Livro de São Paulo

A norte-americana Lauren Blakely é conhecida pelos romances divertidos e sexy. Com quatorze best-sellers na conta, já vendeu mais de 2,5 milhões de livros mundo afora. São livros adorados pelo público, narrados pelo ponto de vista masculino como em “Big rock” e “Mister O”, da Faro Editorial.

Como aproveitar os autores internacionais na Bienal do Livro de São Paulo

Não é segredo que basicamente quaisquer eventos com autores internacionais costumam ser concorridos. Filas, senhas limitadas e restrições de objetos autografados são uma realidade da maioria. Para aproveitar da melhor forma possível, lembre-se de três regras básicas: manter a calma, chegar cedo, respeitar as regras e sempre se planejar com antecedência. Na Bienal de São Paulo de 2016, por exemplo, parte do processo foi online e trabalhou com a solicitação prévia das senhas de participação.

Organização é a palavra! Você pode começar pegando dicas para se dar nas sessões de autógrafos mais agitadas. Leia o post que fala justamente sobre isso aqui.