fbpx
Menu

[Resenha] Corte de Espinhos e Rosas — Sarah J. Mass

“Corte de espinhos e rosas” é o primeiro volume da nova trilogia de Sarah J. Mass, autora da saga “Trono de vidro”. A publicação no exterior aconteceu em maio deste ano, ficando o segundo para maio de 2016.

Nesse livro, Mass aborda a temática mágica. A humana Feyre viu a ruína da família e, para manter pai e irmãs vivas, se vê no papel de provedora. Noite após noite, a caçada por comida faz com que a garota se arrisque entre animais selvagens e terríveis criaturas mágicas no bosque de seu vilarejo. Tudo sem qualquer garantia de reconhecimento.

No entanto, o que já era ruim se complica ainda mais quando Feyre se depara com um lobo. A carne poderia alimentar sua família por semanas; a pele renderia dinheiro para compras e economias. Mesmo ciente da presença de lobos feéricos na região, a escolha de matar o animal foi fácil. O resultado, no entanto, é a entrada forçada no mundo mágico. Afinal, uma vida deve ser paga com uma vida – e Feyre deverá dedicar a sua nos limites do reino feérico que seu povo tanto foi ensino a odiar.

“— Eu vou avisar você uma vez —  Tamilin disse calmamente —  Apenas uma e é sobre você humana. Eu não ligo se você viver em qualquer lugar em Prythian. Mas se você atravessar o muro, se você fugir, sua família não será mais cuidada.”

Minha relação com Sarah J. Mass vinha delicada desde “Trono de vidro”.Essa primeira impressão ruim deixou um gosto tão amargo que a vontade de chegar tentar as sequências ou chegar perto de qualquer outro trabalho da autora foi morrendo. Mas eis que veio a nova série, e, bem, é outro produto, outra história. E já que estamos falando em magia, podemos dizer que meu feitiço de aversão foi quebrado.
A história se passa num mundo onde humanos eram escravizados por seres mágicos: feéricos. Mass montou toda uma hierarquia de poder, que passa por Grão-Senhores, Grão-Feéricos, feéricos e, por fim, humanos. A liberdade veio a duras penas, com anos de guerra e resistência, mas a situação na qual as pessoas vivem continua precária. As espécies vivem isoladas, divididas por um muro. Com sorte, não haveria contato.
Ao ter a vida reivindicada por Tamlin, Feyre é obrigada a deixar a família e se aprender a sobreviver sob as novas circunstâncias. A trama poderia facilmente engrenar apenas a partir desse momento, mas o primeiro ponto positivo é a movimentação desde o início. O livro não deixa espaço para tédio. Tudo é interessante, seja no silêncio de uma caçada ou na correria de uma confusão.
Muito da história é romance. Numa mistura de “A bela e a fera” com mitologia celta e fantasia, “Corte de espinhos e rosas” traz, sim, muitos segredos, jogos de poder e conspirações, mas a importância dos relacionamentos é o que mais sobressai. Esse é um aspecto que poderia pôr tudo a perder comigo, mas, felizmente, foi bem amarrado. Entrei na torcida pelo casal sem nem perceber.
O que dizer de nossa narradora? Feyre é uma garota forte. Determinada, inteligente, independente. Claro que ela também seria teimosa e um tanto impulsiva (isso é um clássico, gente!), fatores que geram situações em que fica difícil determinar se a personagem está tendo um momento idiota ou é apenas autora subestimando o leitor. De qualquer maneira, not cool.
São dadas mais voltas do que o necessário. O fato de a maioria das explicações serem apresentadas via perguntas e respostas traz um ar desajeitado de interrogatório. Tamlin, nosso feérico bonitão, passa cerca de 80% do tempo grunhindo. E o que são todas aquelas reticências? Todo mundo parece estar eternamente hesitante. Minha esperança é de que essas questões sejam resolvidas em “A court of mist and fury (“Corte de névoa e fúria, em tradução livre), porque se der para trás vai desandar o que começou bem apesar dos pesares.
“Corte de espinhos e rosas” é um livro para gostos variados. Leitores em busca de ação, fantasia, romance e até um pouco de thrillher poderão se fartar. Deixo minha recomendação para os fãs, os de nariz torcido e os que ainda desconhecem o trabalho de Sarah J. Mass.

Título original: A Court of Thorns and Roses
Número de páginas: 434
Editora: Galera Record
ISBN: 9788501105875

10 Comments

  • Gabi
    26 de dezembro de 2015 at 23:20

    Gente, eu não sabia que você não tinha curtido Trono de Vidro! Depois de todo bafafá que deu foi difícil achar viva alma que não curtisse.
    Como eu venho empenhada em terminar (e completar) as séries que tenho na estante, quando esse saiu eu podia jurar que vi em algum lugar que era relacionado a TdV e depois nem li muito a respeito. Mas pelo resumo parece bem o tipo de livro que eu gosto de cara 😛

    Se até você entrou na torcida do casal, então fiquei mais curiosa ainda!

    Beijitos
    http://www.papodesereia.com.br

    Reply
  • Camila Lobo
    27 de dezembro de 2015 at 14:52

    Oi, Kimberlly! Tudo bom?
    Eu tenho enorme vontade de ler esse livro, estando no topo dos meus desejados.
    Gostei muito quando você disse que até você torceu para o casal, porque lembro de, ao nos conhecermos, você mencionar que não é fã de romances. Acredito que eu vá amar por esse aspecto e por ser meio A Bela e a Fera.
    Entretanto, tive a impressão de que Feyre é a nova mocinha típica e Tamlin não foi muito bem construído. Entendi bem? Hahaha
    Agora estou mais ansiosa para ler.
    Beijos!

    http://porlivrosincriveis.blogspot.com.br/

    Reply
  • Ana Clara
    27 de dezembro de 2015 at 15:53

    Oi Kimberlly!

    Sabe que tem séculos que não leio um bom livro de fantasia? Gostei de você ter falado que o livro não dá espaço para o tédio. Geralmente a história começa a "arrancar" só depois de alguns capítulos e saber que desde o início tudo é interessante me deixa ansiosa pela leitura. Bom saber também que aparentemente a autora soube trabalhar com o romance. Concordo que, em um livro de fantasia, isso pode colocar tudo a perder. Estou realmente curiosa para ler!

    Beijo!
    http://www.roendolivros.com

    Reply
  • RUDYNALVA
    27 de dezembro de 2015 at 22:36

    Kimberley!
    Como gosto demais de livros de fantasia, gostaria de acompanhar a série.
    E pelo que vejo, não são apenas os humanos que estão vivendo sobre a régide dos feéricos, tem romance envolvido e daí me conquista ainda mais.
    “Feliz Ano Novo, que este ano seja superado pelo velho em felicidades, amor, esperança, fé, paz e que o ano seguinte seja em dobro, tenha um feliz e prospero ano novo.” (Chium)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Reply
  • rafaela
    3 de janeiro de 2016 at 15:17

    Sério que você não gostou de Trono de Vidro Kim? Eu amooo a série, e estou doida pra ler esse livro justamente por ter amado a outra série da autora haha
    Gostei de saber que tem bastante romance no livro, e achei bem interessante misturar A Bela e a Fera com mitologia e fantasia, fiquei curiosa pra saber do resultado disso.
    Espero gostar desse livro também, e espero que a série só melhore 🙂

    Beijos!

    Reply
  • Alessandra Fernandes
    4 de janeiro de 2016 at 16:06

    A principio vamos falar sobre essa capa. Ela é maravilhosa! Adoro capas bem elaboradas e cheia de detalhes, que faz qualquer leitor desejar ler sua história por trás dela.
    Sobre a resenha, fico feliz em saber que a sua experiência com a leitura tenha sido positiva, apesar dos livros anteriores da autora não ter te agradado. Não sabia que o livro tinha relação com A Bela e a Fera, e amei saber isso! Com toda certeza, deixa a magia e o romance presente na trama, muito mais intrigante.

    Reply
  • Marie dos Santtos
    6 de janeiro de 2016 at 00:25

    Nossa o livro parece ser encantador!! A personagem e protagonista Feyre têm características notáveis!! Como dá para ver, o livro tem muita magia. Realmente não dá para ficar entediada lendo este livro!! Já quero ler!!

    Reply
  • Jaqueline Felix
    15 de janeiro de 2016 at 01:26

    Eu achei essa capa linda e o que me chamou a atenção, num primeiro momento, foi a ligação com o clássico A Bela e a Fera. Eu gosto de romance mesclado com magia e salpicado com uma boa dose de aventura, por isso que acredito que amarei acompanhar o cotidiano de Feyre e Tamlin. Sou simpatizante até da parte em que os humanos são escravizados porque, convenhamos, a gente não sabe cuidar do nosso próprio planeta e estamos destruindo tudo.

    Reply
  • marlene conceiçao
    15 de janeiro de 2016 at 22:27

    Amei a resenha.
    Ja tinha ouvido falar desse livro, amo fantasia e ação, sei com certeza depois dessa resenha que de tédio não morrerei lendo esse livro.
    Parabens, Boa Noite.

    Reply
  • […] do universo criado pela autora. O primeiro livro, publicado pela Galera Record, foi resenhado aqui. As sequências são “Corte de névoa e fúria” e “Corte de asas e ruína”, […]

    Reply

Leave a Reply