Assim como os personagens desse seu primeiro livro, Mhairi Mcfarlane estudou inglês na Universidade de Manchester, depois se formando jornalista, bem como sua protagonista. “Desde o primeiro instante” foi originalmente publicado em 2012 e permaneceu filho único de Mhairi até 2013, quando ela publicou “Here’s looking at you”.

Faz 10 anos que Rachel e Ben não têm contato algum. Lá atrás, na época da faculdade, eles costumavam ser inseparáveis, parceiros, melhores amigos. Agora, com esse reencontro tanto tempo depois, o coração de Rachel balança. Ela acabou de terminar o noivado com um namorado de longa data e está reaprendendo a se habituar à vida de solteira. Ele está de volta como um homem lindo, divertido, fiel e bem mais interessante, só que, infelizmente, também bem casado. É claro que sim! Afinal, homens assim “saem do mercado” rapidamente, não é? Pode não ter dado certo todos esses anos atrás, mas a sensação na hora do reencontro é como a de voltar no tempo, inclusive voltando às confusões, diversão e dor do passado.

E será verdade, ainda que cruel, que todo mundo decente já foi escolhido? Como se almas gêmeas resultassem de uma grande promoção de janeiro do tipo “quem chegar primeiro leva os melhores”. Se comprar errado e precisar devolver, vai ter de escolher entre os itens que ninguém quis. É o tipo de pensamento que aprendi com minha mãe, mas eu sempre zombava da segurança de um relacionamento. E me sinto bem menos segura de minha atitude agora que preciso testar a verdade da hipótese.

Com 464, “Desde o primeiro instante” é um chick-lit de capítulos curtos, narrativa intercalada entre passado e presente e páginas voadoras. A leituras é tão envolvente, tão dinâmica, que um só dia de dedicação é suficiente. Algumas tiradas que deveriam ser engraçadas não chegam lá, há problemas de revisão, dá vontade de bater em alguns personagens, mas quem disse que eu conseguia largar o livro? Gostar dele é como sinceramente se admitir apaixonado por alguém: exitem defeitos, embora o resultado final agrade o bates para que eles não importem (tanto).

O livro não fala simplesmente de Ben e Rachel, Rachel e Ben. Ele é sobre relacionamentos, confiança, frustrações, crescimento. Admiro a maneira como a autora pôs a história da protagonista em foco utilizando os outros personagens, todos contribuindo com sua própria bagagem sentimental, como complemento. Enquanto na torcida por esse ou aquele casal favorito, a aproximação pessoal das questões de cada um deles é natural. Graças aos personagens secundários, são oferecidos ao leitor diferentes pontos de vista (pragmático, romântico, superficial etc.), então você fica ali pensando, por vezes angustiado, por outras maravilhado, irritado, satisfeito, no quanto aquilo é triste, porém real, no que significa uma traição, no valor de um relacionamento, na coragem de se comprometer verdadeiramente com outro ser falho como você, no medo de buscar a felicidade depois de anos de estagnação, na cobrança social de formação familiar.

É delicioso conhecer os segredos não revelados nem aos amigos. O que fez com que duas pessoas tão próximas passassem tanto tempo distantes? Como eles se conheceram?  O que eles realmente sentem um pelo outro? Mhairi responde a essas e outras perguntas.  Por fim, será que podemos mesmo apontar o dedo para erros tão humanos?

“Desde o primeiro instante” pode não ser a melhor obra do mundo, não ter arrancado risadas ou ainda ter sido escrito com a intenção de me atingir como atingiu,e no entanto é mais do que satisfatório. Comecei a ler buscando uma coisa e acabei com outra igualmente boa. Graças ao céus pelas surpresas positivas!

Título original: You Had Me At Hello
Editora: Novo Conceito
Número de páginas: 464