“No limite do perigo” é o terceiro da série “No limite”. Antes dele vieram “No limite da atração” (2013) e “No limite da ousadia” (2014).

Se a vida de Rachel Young é ou não perfeita o mundo pode não ter certeza, mas certamente parece que sim. Boa aparência, família, condição financeira. Ela é a boa garota, com comportamento exemplar e notas excelente, mas também a que carrega o peso das expectativas dos parentes e dos segredos que esconde.

A última pessoa com quem Rachel deveria se relacionar é Isaiah, o órfão com jeitão punk do qual seus pais e irmãos mais velhos tentariam afastá-la. Mas agora, além do apreço por carros e da atração mútua, os dois estão ligados pela necessidade de escapar dos problemas nascidos numa pista de corridas clandestinas. O prazo para a chegada milagrosa de alguma solução é de seis semanas. Até onde eles estarão dispostos a ir um pelo outro?

Estou ciente de que mal tenho dezessete anos e estou num bar para me esconder da polícia, e o cara na minha frente é o meu oposto em mais sentidos do que eu consigo calcular, mas não consigo deixar de me sentir uma princesa com um cavaleiro jurando fidelidade.

Simpatizo com os livros de Katie porque, por falta de expressão melhor, são um amorzinho. Bonitinhos, fofinhos, embora  não exatamente leves devido à carga emocional que carregam. Pelo menos fui convencida disso com “No limite da ousadia”, segundo volume da série, no senti melhora considerável na qualidade de elaboração e desenvolvimento de trama e personagens. Tudo poderia continuar a caminhar bem, não fosse pelo ar de descuido com os acontecimentos, o desleixo na finalização e a repetição de dramas que, se já cansam na sugestão de uma segunda aparição, que dirá da terceira.

“No limite do perigo” traz um protagonista cuja história eu queria conhecer faz tempo: Isaiah. A vida dele e a de Rachel se completa, e é algo bonito de ver. Agradável, no mínimo. Os dois são problemáticos à própria maneira, mas enxergam um no outro o caminho para descobrir o que podem se tornar. É uma jornada em dupla, com direito a muita velocidade, adrenalina e roncos de carros.
Trata-se de um livro agraciado com todo drama e sentimento à flor da pele a que se tem direito aos 17 anos. É, na verdade, doce e… Bem, ingênuo. Não importa o quanto de realidade a autora acrescentasse (dor, sofrimento, desilusão), ainda saltam aos olhos o filtro e vulnerabilidade que apenas o primeiro amor pode despertar. Embora nem sempre funciona, ver essa fase da vida dos personagens ser retratada tão bem, com tamanha verdade e naturalidade, foi um ponto a favor.
Não desencorajo a leitura de “No limite do perigo”, embora (num dia bom) o ache apenas razoável. É boa uma pedida para baixas expectativas e experiências sem comprometimento. Afinal de contas, não vale esquecer que os volumes podem ser lidos separadamente com a maior tranquilidade do mundo.
Título original: Crash Into You
Número de páginas: 420
Editora: Verus
ISBN: 9788576863649