Menu

[Resenha] A Lista Negra — Jennifer Brown

    A Lista Negra, originalmente publicado em 2009, é o primeiro
    livro da autora Jennifer Brown, nativa do Kansas, Estados Unidos. Atualmente
    escritora em tempo integral, Jennifer já teve uma coluna humorística semanal no
    The Kansas City Star. Assim como o primeiro, seus outros dois livros, Bitter
    End e Perfect Scape, também têm como foco o público jovem, variando
    o assunto, porém sempre abordando os dramas enfrentados por eles.

O bullying,
algo que milhares de pessoas já sofreram em alguma fase da vida, é o problema
de Valerie e Nick, se você perguntar. Definitivamente não o único problema, mas
o que é capaz de mudar drasticamente a vida de todos no Colégio Garvin e, indo mais além, da cidade também. Eles
são os perdedores. São os excluídos. Apesar de não serem os únicos, de terem
seu próprio grupo de amigos e, principalmente, um ao outro, ainda são os
perseguidos pela turma popular. Ainda são o alvo das pessoas que se acham no
direito de fazer o que querem com os que consideram mais fracos. O pior é que,
por mais que queiram, a situação parece não se resolver. Não até que
Nick Levil, o esquisitão, o namorado maravilhoso de Valerie Leftman, decida “acabar
logo com isso” e atirar em todos que ele e a namorada adicionaram à sua,
agora famosa, lista negra. A lista que ela começou. A lista que contém coisas detestáveis como a tarefa de casa, as brigas domésticas e os nomes daqueles
que eles odeiam.

        Chorei e xinguei minha mãe quando cheguei em casa e vi que minha camiseta não estava mais lá. Ela não entendeu nada — que a camiseta não pertencia a Nick, o assassino, mas a Nick, o cara que me fez uma surpresa com ingressos para o show do Flogging Molly quando eles vieram tocar no Closet. Nick, o cara que me ergueu nos ombros quando eles tocaram “Factory Girls”. Nick, o cara que teve a ideia de comprarmos uma camiseta em sociedade e a dividirmos. Nick, o cara que usou a camiseta até chegarmos em casa e, depois, tirou-a, deu-a para mim e nunca mais a pediu de volta.


O livro
acompanha o passar do tempo, a vida que Val tem que continuar, ou melhor,
recomeçar. Sendo aquela que ajudou a alimentar o ódio do assassino de diversos
estudantes e também aquela que ajudou a fazer com que tudo aquilo parasse —
inclusive sendo baleada e arriscando a própria vida para salvar uma das garotas
que mais lhe perturbavam —, ela precisa começar a se questionar sobre quem
verdadeiramente é, conviver com pais incompreensivos, que ela não sabe se estão a seu lado ou não, e
ainda lidar com a culpa, a raiva e o medo que agora fazem parte do seu
cotidiano. Afinal, não seria ela também culpada, mesmo não tendo apertado o
gatilho? Faz alguma diferença o fato de ela nunca ter realmente desejado que aqueles cujos nomes estavam na lista morressem?
Sendo mais
do que um romance tragicamente terminado, mais do que a história de dois
adolescentes problemáticos obcecados pela morte, A Lista Negra se revelou para
mim um livro intenso, que não consegui ler de uma vez só. Foi preciso parar para
absorver, parar para notar os detalhes, parar para secar as lágrimas. É um
livro formado por memórias, notícias de jornal, perguntas difíceis de serem respondias, dor, solidão e insegurança. Um
livro no qual os vilões também podem ser as vítimas.Um
livro que, narrado em primeira pessoa — e talvez justamente por isso —, engasga em
alguns momentos e para de fluir.

    As pessoas
    diferentes que uma mesma pessoa pode ser e as impressões diferentes que se tem
    de cada um aparecem o tempo todo. Não é apenas Valerie e seus problemas, sua ingenuidade, infantilidade e luta, mas
    todos os personagens e todos os seus fantasmas, que foram assustadoramente
    ampliados ou despertados. São todos eles, sem exceção, levando o leitor junto com eles,
    fazendo-o enxergar e sentir junto.
Será que é
possível abrir os olhos e enxergar a verdade? E, caso seja, qual seria a
verdade? Qual seria o caminho? Será que há apenas um? Se Val tivesse descoberto
essas respostas, se tivesse notado o que é tão claro para aqueles que a acusam
de ser cúmplice de Nick e que agora é tão claro até mesmo para ela, poderia ter ajudado aquele que era seu melhor amigo? Aquele que, pelo menos como ambos acreditavam,
pensava exatamente como ela? Essas são algumas das perguntas feitas em A Lista
Negra
e que, juntamente com uma enorme mistura de emoções, fazem dele um livro que eu não serei capaz de esquecer.


Título original: Hate List
Editora: Gutenberg

Número de páginas: 272

ISBN: 9788565383110

9 Comentários

  • Danzinha
    30 de abril de 2012 at 15:32

    UAU. Linda resenha, eu vi alguns comentários sobre este livro e estou muito curiosa para conhecer este livro, li há pouco tempo um livro que trata do mesmo tema, só que com um desenvolvimento diferente. Os 13 porquês, acredito eu, é tão intenso quanto este.

    Beijos

    Amigas entre Livros

    Reply
  • Rafaela.
    30 de abril de 2012 at 16:04

    Wow, que resenha, Kim! Adorei, ficou ótima. 🙂
    O livro trata de um problema muito comum, infelizmente, e gostei de como ele foi abordado.
    A história deve ser mesmo muito emocionante. Mais um para a minha lista! o/

    Beijocas, amiga.
    http://www.artesaliteraria.blogspot.com.br

    Reply
  • Julia
    30 de abril de 2012 at 16:39

    Amei a resenha Kim *-*
    Estou lendo um livro que é bem parecido com esse, não a estória em si, mas tudo o que ela passa pra gente, a dor, o sofrimento e coisas tão delicadas e ao mesmo tempo perturbadoras. Algumas vezes tive que dar uma pausa na leitura de tão pesada. Tô bem ansiosa para ler A Lista Negra!
    Beijos flor!
    The Books Thief

    Reply
  • Jacqueline Braga
    30 de abril de 2012 at 17:57

    UAU
    mana, porque vc faz isso comigo??depois desse quote eu praticamente implorei para o meu marido vender balinha no trem hoje para arrumar o money e comprar kkkkkkkkkkkkkkkkk
    Adoro historias intensas e de nos fazer chorar.
    Bjs

    Reply
  • Gabi
    1 de maio de 2012 at 03:33

    Que resenha maraa! *-*
    Ainda não estou com taanta vontade de ler esse livro, mas com toda certeza será uma leitura futura. Adorei a forma como você descreveu o livro, no quanto dá pra perceber que eles só são mal compreendidos, que nos leva a pensar quão rápido somos em julgar.

    Adorei!
    Beijitos

    Reply
  • Juliana
    1 de maio de 2012 at 16:06

    Todo mundo fala TÃO bem desse livro. Parece realmente muito intenso, e não tinha ideia que tratava da ideia de bullying tão ao extremo, à morte.

    Sua resenha ficou ótima, fiquei com mais vontade ainda de ler *-*

    mas sei que é uma obra que deve ser lida com calma e com coragem Não deve ser fácil de digerir, mesmo :/

    Beijooo!

    Ju
    julianagiacobelli.com

    Reply
  • Luara Cardoso
    2 de maio de 2012 at 00:07

    Nossa, que resenha maravilhosa. Li outras resenhas dele, mas só nessa fui perceber que o livro é tão forte. Eu pensava que era mais um livro High School, sabe?
    Então creio que essa não seria a leitura para o momento, porque eu tenho lido livros tão intensos que to precisando de um mais leve. Não que eu não fosse ler, claro que eu vou ler! Só preciso deixar essa fase passar.

    Um beijo,
    Luara – Estante Vertical

    Reply
  • #Aηα мαgιєяσ#
    2 de maio de 2012 at 17:46

    Kim!!
    Que resenha maravilhosa, desde que vi esse livro na caixa de correios da Alba, me interessei. É um tema que eu simplesmente adoro, pois já passei por isso quando era criança, então imagina para mim, como vai seer ler ele? E com certeza deve ser muito emocionante mesmo, uma leitura que precisa ser parada, não pode ser lido, rápido demais.
    Adorei de verdade, e agora só esperando o dim dim sobrar, para comprar!
    Beijokas

    Ana Magiero
    Garota Sonhadora Em Livros

    Reply
  • Michele B.
    2 de maio de 2012 at 22:11

    ótima resenha
    quero muito ler esse livro. parece ótimo e é sobre um problema tão atual

    http://lostgirlygirl.blogspot.com.br/

    @lostgirlygirl

    bjos

    Reply

Deixe seu comentário aqui: