Menu

[Resenha] Toda Sua (Crossfire #1) – Sylvia Day

Toda Sua é o primeiro livro da trilogia erótica Crossfire, da autora best-seller Sylvia. Sua sequência, Profundamente Sua, foi publicada no Brasil pela Editora Paralela pouco depois da chegada desse primeiro volume, ainda em 2012. A editora, selo adulto da Companhia das Letras, publicará mais uma trilogia de Sylvia Day no primeiro semestre de 2013: Renegade Angels.

Gideon Cross é um milionário poderoso e profundamente cobiçado. Eva Trammell é uma mulher linda e estonteante recomeçando a vida em Manhattan com a companhia melhor amigo, um novo emprego e um belíssimo apartamento no Upper East Side. Ambos possuem um passado cujos traumas não foram completamente deixados para trás. Nenhum dos dois tem planos de se apaixonar. No entanto, seus caminhos se cruzam e o forte desejo e tensão sexual começa a falar mais alto justamente no novo local de trabalho de Eva: o prédio do qual Gideon é dono. A questão é: até onde um relacionamento entre duas pessoas atormentados pelo passado pode ir?

       “Você me quer, Gideon?”, perguntei ofegante (…)
       “Mais do que o ar que respiro.” Seus lábios se mexiam perto do meu pescoço, por cima do meu ombro, e o calor de sua língua aveludada passava sedutoramente por minha pele. “Também não consigo ficar sem você, Eva. Você é meu vício… minha obsessão…”

Ah, eróticos, eróticos, sempre dando o que falar. Quase sempre seguindo a mesma fórmula, criando uma nova geração de príncipes encantados despudorados e sendo comparados a Cinquenta Tons de Cinza. Como se Cinquenta Tons servisse de grande referência… Mas tudo bem, a gente entende. O sucesso dos livros de E.L. James é grande, apesar de existirem outros muito melhores. Como Toda Sua, por exemplo.

Para mim, o que mais une esses livros da onda “hot” que nos assola é o fato deles só conseguem  ser bons até certo ponto, já que sempre ficam devendo em alguma coisa, seja ambientação, coerência, qualidade de escrita, semancol ou o que for. A meu ver, são fantasios, sentimentalóides. Ainda assim, no meio disso tudo Toda Sua se destaca por ter personagens mais profundos e melhor trabalhados, ser bem escrito e carregar uma dose maior de realidade por possuir protagonistas que sofreram os mesmo traumas. Eva e Gideon são ao mesmo tempo bons e potencialmente destrutivos um para o outro.

Narrado por uma personagem cuja personalidade e maior parte das atitudes condizem com sua história, Toda Sua peca ao abordar pouco o outro lado da moeda do relacionamento do casal principal. Claro, temos mais um caso de amor é instantâneo (dá mesmo para amar alguém daquele jeito em menos de um mês?), dá vontade de rir aqui e ali, mas nada disso incomodou muito. Não, nada incomodou tanto quanto aceitar que a autora terminou o livro sem dar praticamente nenhuma resposta sobre Gideon. O gancho para o próximo livro é ruim, mas os leitores serão fisgados pela curiosidade.

Toda Sua é uma das melhores opções dentre os grandes sucessos do gênero. O que não significa que seja maravilhoso. É aquele que tem cenas de sexo forte, não economiza nos palavrões e tem história para contar, ao invés de ser só sexo, sexo, sexo. Gideon é controlador, obsessivo e tem uma abordagem agressiva, mas, bem, há quem goste, né?

Título original: Bared to You
Editora: Paralela
Número de páginas: 280
ISBN: 9788565530118

10 Comentários

  • Felipe Santos
    30 de janeiro de 2013 at 22:48

    Não costumo ler livros eróticos porque eles simplesmente me constrangem. Esse é um deles que quando estava na casa de um amigo peguei para dar uma olhada e fiquei roxo de vergonha do que li. Sou estranho mesmo, mas quem sabe um dia não dê uma chance para eles, não? Esse seria uma boa pedida para ser o primeiro.

    Beijos,
    Felipe
    A Hora do Livro

    Reply
  • Maressa de Sousa
    30 de janeiro de 2013 at 22:56

    Ainda não li nenhum erótico mas confesso que tenho certa curiosidade. Apesar de achar que tudo que surgiu de "Cinquenta tons de cinza" foram apenas inspirações acho que deve ser um bom livro ^^

    Reply
  • Irinia Zachello
    31 de janeiro de 2013 at 01:10

    Oi tudo bem?

    Bom concordo com você quando diz que 50 tons não é referência. Porém como esse livro foi inspirado no 50 tons consequentemente a gente compara. Eu mesma comparei na minha resenha. Achei um tanto forçada essa história. A escrita mais madura… Mas desacredito de amores assim, ai está mais para amor de sexo… 50 Tons tb. Gideon para mim não era agressivo não, era frio. E eu li por curiosidade mesmo o segundo. O que me deixou cansada e irritada. Mas não deixei de apreciar algumas partes. Estou esperando pelo terceiro hahaha porque quero ler até o final. Beijos. Gostei da sua resenha, escreveu coisas que eu senti mas não expressei em palavras. Beijos novamente. hahahah

    Livros… Eu quero ler sempre

    Reply
  • Alice Aguiar
    31 de janeiro de 2013 at 05:19

    eu achei esse livro bom, por favor 50 tons de cinza é trash demais ahuashushua
    eu acho que as pessoas tem muito preconceito com literatura erótica, mas claro que estou falando de literatura de qualidade e nao essas porcarias que vendem hoje em dia
    pra mim tudo isso nao passa de frescura sabe?
    até parece que as pessoas nao fazem pior ou igual ao que está no livro ¬¬
    mas o que me incomoda é pessoas querendo usar 50 tons de cinza como referencia (aqueles fãs doidos que acham que esse livro é super bem escrito)
    claro que nao tem como nao comparar toda sua a 50 tons de cinza pq a autora mesmo agradece no livro toda sua a e.l.james por ter abrido mercado e etc.
    esse livro pra mim mostra mais como é na real os sentimentos das pessoas que sofreram abusos, as confusões internas e tudo mais
    digo isso pq eu ja sofri abuso e sei do que eu to falando.
    até disse isso na minha resenha.
    pra mim pessoas tem que ler de mente aberta sahusahusahu digo isso pq to lendo luxuria, gente a capa é linda, é erotico (coisa que eu gosto) mas to tentando fazer o livro fluir mas nao ta indo nao, é meio ruinzinho.
    gostei da sua resenha em alguns pontos me chamaram bema tençao e entendi seu ponto de vista.
    eu nao gosto de romances instantaneos que o car aolhou ja amou, uhahaush mas ja aconteceu comigo de olhar o cara, gostar loucamente uashhasuhu ele namorou comigo por dois anos entao nao é tao fantasioso assim sabe

    Reply
  • Enfim Shakespeare
    1 de fevereiro de 2013 at 02:34

    Vamos confessar que a escritora consegue levar uma estória, mas não acredito que esse livro possa ser comparado a 50 tons, visto que no segundo livro existem fatos que deixam essa teoria clara e comprovada.

    Eu leria essa série e a série 50 tons sem problemas, gosto de livros que envolvam independente do tema que seja utilizado.

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br

    Reply
  • Gabi
    2 de fevereiro de 2013 at 00:56

    Gente, eu já tô cansada dessa onda. E olha que só devo ter lido dois ou três livros do gênero. Como você disse, a grande maioria é sempre mais do mesmo, pecando em um ou todos os aspectos.

    Não sei se sinto vontade de ler esse livro, quem sabe mais tarde depois dessa onda passar. Mas é bom saber de antemão que ele é o 'melhorzinho'

    Beijitos

    Reply
  • Vidrada em Livros
    2 de fevereiro de 2013 at 02:11

    Fiquei babando por ele na livraria um dia desses. A resenha está ótima, só me deixou com mais vontade ainda de ler.
    Parabéns pelo blog, seguindo! Segue também? http://vidradaemlivros.blogspot.com.br

    Reply
  • Poliana Araújo
    13 de fevereiro de 2013 at 15:13

    Oi, tudo bom?
    Adorei a resenha,fiquei com vontade de ler para saber mas sobre a história, parecer ser um bom livro, adorei tbm a capa.

    Território das garotas
    @territoriodg
    Bjss *-*
    Passa lá no blog?
    http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com/

    Reply
  • Escondidos No Livro
    20 de fevereiro de 2013 at 18:50

    Bom, erótico virou modinha – desculpa se alguém se ofende – e pra mim isso não rola. Sei que esse gênero pega mais do sexo feminino do que masculino, mas sem ser machista, acho que foge um pouco da qualidade da leitura. Vemos em diversos aspectos que não se tem uma história tão profunda como pano de fundo, apenas tendo o sexo como total embaso no enredo. Eu não leria pelo fato de não serem – generalizo os eróticos – histórias completas, daquelas que ao terminar te faça refletir e não ter alucinações e pensamentos maliciosos!

    Bom, nada contra quem lê, e respeito muito. Mas essa foi MINHA opinião ao gênero erótico! Beijão, amei a resenha.

    Lucas Bispo
    ESCONDIDOS NO LIVRO!

    Reply
  • Anônimo
    31 de março de 2013 at 14:17

    Sylvia Day reservou uma forma interessante de colocar o erotismo sem vulgaridade nessa trilogia. Sempre leva em conta o lado cômico e sensual nas palavras . Aguardar o próximo me inquieta. Quero a magia que vem sendo desenvolvida desde o primeiro livro. Não vou aceitar menos do que isso.

    Reply

Deixe seu comentário aqui: