“Perdidos por aí” é o terceiro livro do americano Adi Alsaid, que divide a dedicação à escrita com as aulas de basquete infantil e juvenil que ministra na cidade de Novo México. Seus outros livros, ainda não publicados no Brasil, se chamam “Somewhere over the sun”, “The Calvin sky” e “Never always sometimes”.

Nos momentos de dificuldade, aqueles que nos impulsionam rumo à superação são capazes de marcar a vida de qualquer um. Assim foi com Hudson, Bree, Elliot e Sonia, quatro desconhecidos conectados por um mesmo ombro amigo: a misteriosa Leila.
Todos os envolvidos nessa história estão em momentos diferentes da vida. Uns desiludidos, outros esperançosos, outros entusiasmados… Porém, tudo aponta para a garota que sempre vem, mas certamente vai. Em meio a uma jornada que inclui um carro vermelho, muitos quilômetros e perguntas a serem respondidas, um grupo de jovens descobrirá que, às vezes,  o a resposta para se encontrar é se perder.

Hudson dava olhadas rápidas para o perfil de leila, tentando entender o que a tornara rão atraente, mas o único pensamento inteligente que conseguia ter depois de cada olhada era: Gosto dela.

Dividido em cinco partes, “Perdidos por aí” convida o leitor a participar do caminho percorrido em suas páginas. De encontro em encontro, conhecemos a história de cada um gradativamente, permitindo uma construção sensível das situações abordadas. Embora motivações e explicações devam ser dadas, o processo é confortavelmente prazeroso.

Nesse percurso, cada personagem é uma parada. Vai-se de Hudson a Bree, de Bree a Elliot, de Elliot a Sonia. A parada final, porém, é o grande encontro com o “eu”. Assim, Alsaid ganha pela simplicidade da mensagem que passa, com abordagem jovem, estilo descomplicado e construções capazes de aproximar qualquer um.

Está servido mais um exemplo de que o feijão com arroz funciona. Os pecados? Ah, eles estão lá! São representados por situações forçadas (aqui e ali) e histórias claramente mais interessantes que outras (uma pena!), mas o movimento está na Leila, e é com ela que seguimos. O mais interessante para o bom aproveitamento dessa experiência é se deixar seguir o curso.

“Perdidos por ai” oferece uma leitura rápida, agradável e, sim, descompromissada. Porque às vezes o que a gente precisa é do dito com pouco, sem balela.

Título original: Let’s Get Lost
Número de páginas: 294
Editora: Verus
ISBN: 9788576863977