Olá, leitores!

Como foi a virada de ano? Bem, espero. Em 2015 teremos Meg Cabot no Brasil, Bienal do Rio de Janeiro, o aniversário de 5 anos do Último Romance no ar (aguardem e confiem na promessa da comemoração que está por vir!) e muitas, muitas outras coisas. O primeiro post do ano é sobre meio top 5, meio compartilhamento, meio promessa de ano novo. É normal iniciar uma nova fase com empolgação de sobra, mas acho importante traçar metas relevantes para que esse estado se mantenha. Assim sendo, as minhas são:

5. Desapegar dos livros prontos para partir

Comprar, ganhar e trocar livros é uma delícia, mas nos últimos tempos eu descobri a morte horrível de ver alguns meus amarelando. Foram poucos, sim, mas eu ainda sofreria mesmo se acontecesse um só. O empenho na busca pela restauração somado ao fato de eu ter acabado de comprar a terceira e última estante a caber no meu quarto me obrigou a admitir que é hora de abrir mão dos livros nos quais já não tenho interesse. Dizem que quem ama deixa livre, certo? Hora de praticar o desapego.

4. Ler mais livros nacionais

Não sou de me prender à nacionalidade de autores. Se a história me chama atenção o suficiente para justificar a leitura, simplesmente aposto. No entanto, senti em 2014 a necessidade de ter mais contato com obras dos autores que conheci nos eventos, por exemplo. Os brasileiros andaram em desvantagem na minha fila, embora não por muito tempo se depender da minha lista de desejados.

3. Dedicar mais atenção à leitora que desejo ser

Sempre digo que não quero ser leitora de uma coisa só. É por isso que, mesmo tendo claros os gêneros que menos me agradam, para dizer o mínimo, vez ou outra ainda me arrisco. Que em 2015 eu possa oferecer “cupons de oportunidades” sinceros e livres de condições com mais frequência.

2. Cultivar o ato de ler por prazer

Sempre sonhei com um encontro entre a vida profissional que estou construindo e minha conexão com a literatura. Porém, deixe-me dizer que quando o trabalho passa a envolver sua paixão/hobby, o aproveitamento na vida pessoal muda. Depois de ler, ler e ler mais um pouco para outros projetos, chegar em casa já não significa pensar em algo como “Ah, agora é hora de voltar para aquela página na qual parei”. Uma vida com mais momentos de privacidade literária com amor, por favor.

1. Dar preferência aos livros aguardando a vez na estante

Este sim é um verdadeiro desafio. O desejo de aumentar a coleção nunca vai embora de verdade, e a empolgação com as novidades desfavorece os coitados que chegaram primeiro. A fila é furada com frequência, fazendo com que o número total de exemplares aumente juntinho com o de não lidos. É algo frustrante, embora felizmente controlável. Sempre há esperança, certo? *Certo.* 
E vocês, têm metas? Estão animados? Compartilhem! Boa sorte para nós!