Menu

[Resenha] Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo — Benjamin Alire Sáenz

Sinopse oficial: Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.

Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

“Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo” recebeu o Stonewall Book Award em 2013, mesmo ano em que foi escolhido como livro de honra do Michael L. Printz Award. É a mais recente obra de Benjamin Alire Sáenz, autor de prosa e poesia para jovens e adultos que também atua como chefe do departamento de escrita criativa da Universidade do Texas em El Paso (Estados Unidos).

Ao me ver vasculhar o céu através das lentes de um telescópio, Dante cochichou:
— Um dia vou desvendar todos os segredos do universo.
Achei graça.
— E o que você vai fazer com esses segredos, Dante?
— Saberei quando chegar a hora — respondeu. — Talvez mudar o mundo.


“As palavras ficam diferentes quando passam a morar dentro de você”, é dito no livro a certa altura. Se tem algo que aprendi com ele é que isso é verdade. As palavras que formam as citações e as lições de “Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo”. Os post-its com minhas marcações de trechos merecedores de destaque que o digam.

Essa história é verdade, é poesia. Há nela o peso, os dramas e as bobagens que só alguém capaz de se conectar à juventude entende. Talvez se explique por aí o seu melhor e seu pior. Através de personagens de 15 anos de idade, o leitor experimenta o valor da amizade, o quanto as diferentes formas de amor e criação nos moldam e, acima de tudo, o como os relacionamentos são fundamentais para o crescimento dos seres humanos. Pessoas acrescentam às pessoas. É isso. Ari e Dante são desde o início o exemplo de como gente diferente como noite e dia pode se completar.

Fiquei surpreso. O livro era interessante; não era idiota, bobo, pedante  nem intelectual demais… nada do que eu pensava que poesia era. Alguns poemas eram mais fáceis que outros. Alguns eram inescrutáveis. Comecei a achar que talvez soubesse o significado dessa palavra.
Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende… e nunca entenderá.


Narrado por um Ari cheio de sentimento, sem deixar de lado os não tão belos, a leitura é rápida. Os diálogos por vezes podem até lembrar entrevistas ping-pong, mas é um ritmo que casa com a dinâmica da história. As palavras parecem calmamente selecionadas.

“Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo” é um pacote completo: belo tanto por fora quanto por dentro. Viva à delicadeza, às autodescobertas, aos segredos particulares que guardados para cada um de nós!

Título original: Aristotle And Dante Discover The Secrets Of The Universe
Número de páginas: 390
Editora: Seguinte

3 Comentários

Deixe seu comentário aqui: